Informações Importantes

Muitos dos desaparecimentos divulgados aqui já são de domínio público. Alguns deles já merecem a atenção da nossa sociedade, há 10 anos ou mais. Mesmo assim, em que pese o nosso extremo carinho e cuidado com as informações divulgadas, equívocos e omissões poderão acontecer. Nesta hipótese, louvamo-nos no nosso habitual espírito de solidariedade para com o próximo para, antecipadamente, pretender merecer a compreensão e a benevolência de todos. Fica certo e sabido que nada cobramos e nada pedimos por aquilo que fazemos. O que oferecemos, e com sinceridade, é o nosso trabalho de divulgação. As chamadas 'recompensas monetárias' estão fora do nosso entendimento, pois acreditamos que a tarefa de buscar pessoas desaparecidas está numa das mais sublimes áreas da atuação humana: a solidariedade.

Outras Informações Importantes

Solicitamos a gentileza por parte de quem deseja a publicação sobre desaparecimentos, que, ao nos enviarem e-mails, estejam certos de que incluiram as informações essenciais sobre o procurado: nome completo, idade, características físicas, filiação, profissão, local de moradia, local onde se deu o desaparecimento, circunstâncias do desaparecimento, data em que ele ocorreu. Quando feito o registro em órgão policial, ou órgão competente, informar o número de registro da ocorrência, e a cidade onde este órgão está localizado. Não esquecer de informar qual o grau de parentesco do solicitante da publicação com o desaparecido. E, extremamente importante, e-mail para contato, mas, por favor, que seja um e-mail POP3, ou seja, um e-mail usado freqüentemente, e não um e-mail aberto com a finalidade apenas de facilitar a divulgação do desaparecimento. Por conta desta diferença, ao realizarmos a checagem dos e-mails dos solicitantes, quase nunca recebemos respostas. Isso não pode acontecer, pois precisamos ter cuidado nas divulgações, para que sejam evitadas falsas comunicações. Também é muito importante que sejam fornecidos telefones para contato, apesar de serem preferencialmente os e-mails a via de comunicação. A razão desta preferência é óbvia: o custo dos interurbanos. Outra coisa que é de extrema importância, é a fotografia do desaparecido. Sempre que possível, envie uma foto para publicação junto à nota de desaparecimento, pois, como dissemos em texto que abre o nosso site, 'Uma imagem vale mais que mil palavras'. E para que tudo termine bem para todos, caso o desaparecido seja encontrado, imediatamente dar ciência ao órgão policial onde foi registrada a ocorrência, ou até à autoridade policial mais próxima, isto para que sejam cessadas as buscas. Certamente que, também para nós do 'Procurados.org', esta atitude será muito bem recebida, pois nos ajudará a manter o nosso site atualizado.
Que Deus oriente os passos de todos nós!
Desaparecimento é coisa séria!

E sobretudo quando se trata de desaparecimento de criança ou de adolescente!
A Secretaria Especial de Direitos Humanos, órgão subordinado ao Ministério da Justiça do Brasil, baseada em estatísticas extra-oficiais, avalia que, anualmente, aconteçam cerca de 40.000 desaparecimentos, os computados apenas entre crianças e adolescentes. Felizmente, entre 85 e 90% desses casos têm rápida solução.
A razão desta imprecisa estatística decorre do fato de que pais e responsáveis por menores desaparecidos, em sua grande maioria, não registram tais ocorrências junto aos órgãos competentes. Muito pior, é quando não retornam a esses órgãos para solicitar baixas nas ocorrências, quando as fizeram.
Registrar um desaparecimento, não é apenas um dever legal que o responsável por um menor tem, mas também é uma atitude inteligente, pois a pronta comunicação às autoridades policiais permite que equipes altamente especializadas neste tipo de ocorrência entrem imediatamente em ação. Lembre-se de que nas primeiras 24 ou 48 horas as chances de localizar um desaparecido são muito maiores, pois as pistas ainda são recentes.
Sempre que possível, providencie o R.G. (carteira de identidade) para o seu filho. Além disso, mantenha disponíveis fotos sempre recentes, nítidas e coloridas. Sempre tiradas de frente e também de perfil, pois nunca se sabe se serão necessárias.
Em caso de dúvida, bastará dirigir-se à delegacia policial mais próxima de sua residência, onde certamente lhe será oferecida completa orientação.
Isto merece a sua atenção!

Ultimamente, temos recebido solicitações de publicação de noticías de busca de paradeiros que não trazem as informações básicas sobre a pessoa procurada: nome completo, data do nascimento, profissão, filiação (nomes completos dos pais), cidade onde o desaparecido morava, número de telefone fixo com o respectivo DDD de quem busca pelo desaparecido, informações sobre o Boletim de Ocorrência (nome do órgão, cidade, data e número). Por serem de extrema importância, também o nome completo e o grau de relacionamento com o desaparecido, por parte de quem está pedindo a publicação.
Abordamos ainda o fato de que muitos desses pedidos vêm em arquivos dos mais variados formatos: winword, excel, visual basic, adobe, acess, powerpoint, entre outros, ao contrário dos desejados '.txt' e '.jpg'. Muitos destes arquivos tomam um considerável tempo para serem baixados, quando não se torna impossível abrí-los.
Referímo-nos ainda aos links que nos são indicados para que tenhamos acesso aos dados da pessoa desaparecida. Muitos destes links não abrem, mesmo após inúmeras tentativas. Também, links que conduzem até a arquivos da suspeitíssima terminação '.exe' são encontrados, como no caso de uma menina chamada Amanda, e que teria sido vítima de rapto no litoral paulista. Além disso, ao checarmos os dois e-mails que seriam de autoria da mãe da menor, os respectivos provedores informaram que as caixas postais encontram-se bloqueadas!
Não bastasse isso, alguns outros até sugerem que contatemos órgãos policiais em busca dos dados do seu parente (ou amigo) desaparecido. Ou seja, nos obrigam a 'fazer longas pesquisas' para conseguir os dados para escrever a sua notícia em nosso site. Isso vai contra a lógica, pior, toma-nos um grande tempo!
Muitos dos e-mails que nos chegam trazem um conteúdo extremamente emocionado, com palavras tocantes e doloridas, desesperadas mesmo. Apesar de muito emocionados como nos sentimos, não temos o poder de transformar essas palavras em dados que tornem mais fácil a identificação das pessoas que estão sendo procuradas. Dados sobre o desaparecido são coisas insubstituíveis, assim sendo, não há o que possamos fazer!
Há casos em que, por mais de três vezes, solicitamos uma determinada confirmação ao usário e ela não nos foi prestada, mesmo que esse usuário nos tenha dirigido três replys.
Quase que em 99% das notícias publicadas, ficamos sem saber se os solicitantes chegaram a ler o que foi publicado em nosso site, a seu pedido! Não nos dão retorno!
Finalmente, ocorre-nos lastimar que quando alguma pessoa é encontrada, ao invés de nos serem relatadas as circunstâncias do encontro, são feitas comunicações lacônicas: 'Fulano foi encontrado!', ou apenas, 'Localizado!'
Lamentamos profundamente, mas vamos ser obrigados a só escrever notícias de busca de paradeiros caso os dados mínimos sobre a pessoa procurada e sobre o solicitante nos sejam informados e, claro, quando os nossos e-mails forem respondidos sem omissões ou reservas.
-----
Site em teste
Procurados.org
Música de fundo: Non, Je ne regrette rien